topo_site_estraga_2

Conheça os livros que estragaram o mundo – Parte 2

Os Livros são um dos nossos maiores recursos, mas muitas vezes na História eles foram mal interpretados. Em alguns casos levaram à morte em massa, destruição e regimes governamentais ruins.

Esta é uma lista com a continuação dos 10 livros têm feito mais mal do que bem. O traço comum em todos eles é o engano – muitas vezes não intencional, mas as consequências foram às mesmas. Veja só:

05 – Democracia e educação

John Dewey, 1916

Motivo para estar na lista: convenceu o mundo que a educação não é sobre os fatos.

A ideia básica do pensamento de John Dewey sobre a educação está centrada no desenvolvimento da capacidade de raciocínio e espírito crítico do aluno. Enquanto suas idéias gozam de grande popularidade durante sua vida e postumamente, sua adequação à prática sempre foi problemática. Seus escritos são de difícil leitura – ele tem uma tendência para utilizar termos novos e frases complexas fazem com que seja extremamente mal entendido, forçando reinterpretações dos textos. E a consequência? Uma geração de jovens com uma educação de qualidade inferior, que carece de uma sólida fundação em fatos e conhecimentos.

04 – Meu Filho, Meu Tesouro

Benjamin Spock, 1946

Motivo para estar na lista: causou mortes por maus conselhos.

Independentemente de você concordar com a metodologia de Spock, ninguém pode negar que muitas crianças provavelmente morreram em decorrência de seu conselho de colocar os bebês para dormir sob seus estômagos. Spock acreditava que se dormissem de costas poderiam sufocar no seu próprio vômito – levando à morte. Os cientistas finalmente descobriram que o conselho de Spock realmente levava a mais mortes por asfixia. As estimativas do número de mortes causadas por este conselho ruins são cerca de 50.000.

03 – Os protocolos dos sábios de Sião

Desconhecido

Motivo para estar na lista: era destinado a incitar o ódio racial.

O texto tem o formato de uma ata, que teria sido redigida por uma pessoa num Congresso realizado a portas fechadas, numa assembleia em Basiléia, no ano de 1807, onde um grupo de sábios judeus e maçons teriam se reunido para estruturar um esquema de dominação mundial. Nesse evento, teriam sido formulados planos como os de usar uma nação européia como exemplo para as demais que ousassem se interpor no caminho dessa dominação, controlar o ouro e as pedras preciosas, criar uma moeda amplamente aceita que estivesse sob seu controle, confundir os “não-escolhidos” com números econômicos e físicos e, principalmente, criar caos e pânico tamanhos que fossem capazes de fazer com que os países criassem uma organização supranacional capaz de interferir em países rebeldes.

02 – Manifesto do partido comunista

Karl Marx e Friedrich Engels, 1848

Motivo para estar na lista: e poderia ganhar o prêmio por ser  o livro mais maligno já escrito.

Este livro tem inspirado alguns dos regimes mais brutais da história do homem. Este livro inspirou tantas más ações que ele não pode ser deixado fora de uma lista dessa natureza. Alguns dos princípios encontrados no manifesto são a abolição da propriedade privada da terra, o confisco dos bens dos emigrantes, pesados impostos e a abolição da herança.

01 – A caixa preta de Darwin

Michael Behe, 1996

Motivo para estar na lista: Ele alimenta os ataques fundamentalistas contra a Ciência.

Ao argumentar contra aspectos das teorias de Darwin, este livro deu combustível para os fundamentalistas que afirmam que uma interpretação literal do Livro do Gênesis é a única forma possível de entender como a Terra foi criada. Apesar de muita contestação por parte da comunidade científica, muitos fundamentalistas ainda usam isso como uma “fonte” para a prova de que a evolução não é verdade.