10 livros que todo mundo deve ler antes de morrer – Parte 2

Confira obras que ultrapassaram o tempo e permanecem importantes e extremamente relevantes nos dias de hoje.

Para os apaixonados pela leitura, livros também são como um testamento. Veja a continuação da lista dos livros que você deve ler antes de morrer.

  1. O Auto da Compadecida – Ariano Suassuna

Este não é um livro propriamente de comédia, mas a forma com que foi escrito faz dele um dos mais divertidos da literatura nacional. O Auto da Compadecida é uma obra constituída pela descrição do cenário do sertão nordestino com muito bom humor.

As peripécias de Chicó e João Grilo retratam a alegria do povo nordestino, que mesmo com as adversidades da vida, não deixa de sorrir e sonhar.

  1. 1984 – George Orwell

Winston, herói de ‘1984’, último romance de George Orwell, vive aprisionado na engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo Estado, onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho. Ninguém escapa à vigilância do Grande Irmão, a mais famosa personificação literária de um poder cínico e cruel ao infinito, além de vazio de sentido histórico. De fato, a ideologia do Partido dominante em Oceânia não visa nada de coisa alguma para ninguém, no presente ou no futuro. O’Brien, hierarca do Partido, é quem explica a Winston que ‘só nos interessa o poder em si. Nem riqueza, nem luxo, nem vida longa, nem felicidade – só o poder pelo poder, poder puro.’

  1. Dom Quixote – Miguel de Cervantes

O livro traz a história de um ingênuo senhor rural cujo passatempo favorito era a leitura de livros de cavalaria. Na sua obsessão, acreditava literalmente nas aventuras escritas e decide tornar-se um cavaleiro andante. Suas viagens sucedem-se sob a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria; pessoas que encontrava nas estradas pareciam-lhe como cavaleiros em armas, damas em apuros, gigantes e monstros; até moinhos de vento na sua imaginação eram seres vivos. Combatendo as injustiças, o personagem enfrenta situações penosas e ridículas, mantendo, porém, uma figura nobre e patética.

  1. O Livro do Desassossego – Fernando Pessoa

O narrador principal das centenas de fragmentos que compõem este livro é o ‘semi-heterônimo’ Bernardo Soares. Ajudante de guarda-livros na cidade de Lisboa, ele escreve sua ‘autobiografia sem factos’, sem encadeamento narrativo claro e sem uma noção de tempo definida. Ainda assim, foi nesta obra que Fernando Pessoa mais se aproximou do gênero romance. Os temas, adequados a um diário íntimo, são permeados pelo tom de uma intimidade que nunca encontrará ponto de repouso. Na prosa metódica do ‘Livro do desassossego’, Pessoa criou um mundo; e nele faz fluir todas as suas perspectivas poéticas.

  1. O Homem sem Qualidades – Robert Musil

Nesta que é considerada uma das obras literárias mais importantes do século XX, o autor Robert Musil tece uma intrincada trama centralizada em Ulrich. O personagem vive diversas experiências, viaja ao exterior e, às vésperas da Primeira Guerra Mundial, retorna a Viena, convivendo com os mais diversos tipos humanos. Este romance-ensaio mostra a decadência dos valores vigentes até o início do século passado, marcando a perda de posição da Europa na decisão dos rumos políticos e econômicos mundiais.